Redes Sociais e Emprego: Para além do LinkedIn

instagram

Hoje em dia já ninguém duvida do alcance das Redes Sociais e há por aí bastantes artigos sobre o cuidado que devemos ter com a nossa pegada digital que nos poderá prejudicar a nível profissional.

Não deixes de ser quem és, mas ter em atenção as definições de privacidade é o mínimo.

Espanta-me que com todo este awareness, a maioria da população jovem conviva com a tecnologia há anos mas não tenha ainda começado a utilizar o potencial das redes sociais a seu favor na procura de emprego.

Muitos ainda não estão sequer no LinkedIn e dos que estão, uma boa parte tem um perfil sub-aproveitado.

Já aqui tenho escrito várias vezes que estou no Dubai fruto de um contacto via LinkedIn e, curiosamente, anteontem recebi um email do fundador de uma empresa líder aqui no Médio Oriente com uma proposta de trabalho. Sem saber como tinha chegado até mim, fui espreitar o meu LinkedIn e lá estava ele, na secção das pessoas que viram o meu perfil.

Deduzo que me tenha encontrado no meetup group de que é presidente e depois tenha ido ver as minhas credenciais no LinkedIn. Felizmente, tenho um perfil super-optimizado ou teria perdido uma oportunidade.

Queria pensar bem sobre o assunto por isso não respondi logo. E não é que recebo um tweet às 11h da noite a perguntar-me se recebi o email? Eu nem sequer o seguia no Twitter…

Aliás, o Twitter é cada vez mais uma ferramenta útil na procura de emprego. Embora em Portugal ainda não seja muito utilizado, para quem considera uma aventura no estrangeiro é uma excelente aposta. Sigo vários head hunters que publicam todos os dias ofertas e tem apenas algumas centenas de seguidores, o que limita bastante o número de candidatos a concorrer pelas vagas.

Segundo um estudo da Jobvite sobre Social Recruitment, para o qual foram entrevistados 1600 profissionais de Recrutamento e Recursos Humanos em 2013, 43% postam ofertas de emprego no Twitter.

Há várias estratégias que podemos utilizar nas redes sociais e hei-de debruçar-me sobre algumas delas mas para já pretendo apenas alertar para a importância destas plataformas no desenvolvimento de carreira.

E para provar que isto é um facto e não só a minha opinião, deixo-vos algumas estatísticas do referido estudo.

  • 94% usam ou planeiam usar Redes Sociais em processos de recrutamento
  • 78% já contrataram com recurso a redes sociais
  • 49% referiram que o Social Recruitment aumentou a qualidade dos candidatos
  • 42% reconsideram um candidato depois de verem conteúdo online, quer seja pela negativa ou pela positiva.

Isto reforça o facto que não basta não ter coisas prejudiciais e umas boas definições de privacidade. É mesmo preciso gerir proactivamente a nossa presença online pois com isso podemos ser reconsiderados para uma vaga mesmo depois de já terem rejeitado a nossa candidatura. Já para não falar de que somos mais facilmente encontrados e recebemos propostas até quando não estamos à procura de nada.

  • 92% vetam candidatos pré-entrevista no LinkedIn

Ainda não estás convencido da importância de ter um bom perfil, totalmente coerente com a informação do CV? Segundo o estudo, o LinkedIn é utilizado para verificar a experiência, quanto tempo o candidato permanece nas empresas e hard skills específicos.

  • 35% vetam candidatos pós-entrevista no Facebook

Cuidado com o que publicas no Facebook pois pode deitar por terra aquela entrevista que até correu muito bem.

O Facebook, Twitter, Google+ e Blogs são utilizados para verificar o que se costuma chamar “industry-related voice” e “cultural fit”.

Se não tens tempo ou paciência para escrever um blog, uma forma simples de demonstrares expertise é criares uma conta no Twitter (conectada ao teu perfil de facebook), seguires revistas, empresas e pessoas que são referências na tua indústrias e fazeres ReTweets com um pequeno comentário. Não dá trabalho nenhum e passas a ter a tal industry-related voice.

Podes ver o meu Twitter como exemplo @RuteSilvaBrito.

Estás tão ocupado no teu trabalho actual que estás a deixar passar a oportunidade de estar no radar de head hunters que te poderão ajudar a avançar na carreira?

Vais continuar só a responder a anúncios e a enviar candidaturas espontâneas para o buraco negro?

Ou vais passar a incluir as redes sociais na tua estratégia? É que a partir do momento em que até o Instagram é utilizado para publicar ofertas, acho que está tudo dito.

Rute da Silva Brito
About these ads

3 thoughts on “Redes Sociais e Emprego: Para além do LinkedIn

  1. Reblogged this on Cold November Rain and commented:
    Em todas as minhas (muitas) pesquisas sobre o assunto, seja em blogs de língua portuguesa seja em blogs de língua inglesa, nunca encontrei dicas tão exequíveis e com aplicação prática como neste blog!

  2. Pingback: Estás pronto para trabalhar? | Rute da Silva Brito

  3. Pingback: Como Optimizar o Perfil de LinkedIn em 5 Passos | Rute da Silva Brito

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s