Como ser um bom Networker – Parte 1

179126-strip

Há tanto para explorar dentro do tema networking que optei por dividir esta série em várias partes. Assim temos posts mais curtos porque, sejamos honestos, é Verão e ninguém tem pachorra durante as férias.

Aposto que quando pensas em networking, a imagem que te vem à cabeça é um evento onde é suposto teres um bolso cheio de cartões e iniciares conversas de circunstância com desconhecidos, tudo para no final pedires qualquer coisa.

Mas a verdade é que hoje em dia, é mais provável que os esforços de networking passem sobretudo pelo mundo virtual. E não, não me refiro a adicionar contactos no LinkedIn em massa – por favor nunca faças isso.

Diz não a tudo o que for massificado. 

Não é assim que se usa o LinkedIn. Emails indiscriminados são SPAM. E há que saber respeitar o espaço das pessoas.

Networking consiste em cultivar relações numa perspectiva de longo prazo e não é preciso dizer que o tratamento impessoal e indiscriminado não cultiva relação absolutamente nenhuma. Demonstra interesse genuíno pela outra pessoa e pensa mais no que podes fazer pelo outro do que o outro pode fazer por ti. Continue reading

Como Optimizar o Perfil de LinkedIn em 5 Passos

165853.strip.zoom

Hoje faz um ano que cheguei ao Dubai, fruto de uma oportunidade de trabalho que surgiu via LinkedIn. Depois de meses a chatear-vos para lhe darem a devida importância, hoje é o dia que publico o post que tenho vindo a prometer.

Há muito a explorar nesta rede social profissional mas, para já, vou escrever uma espécie de guia para quem vai criar um perfil de raiz e para quem tem um perfil incompleto ou sub-aproveitado (e com isto acabo de englobar provavelmente 80% da população).

Pior do que não estar no LinkedIn, é ter um perfil incompleto. Mais vale ninguém te encontrar online do que encontrar e ficar com má impressão. Especialmente se estás activamente à procura de emprego porque hoje em dia se o teu CV estiver a ser considerado, podes crer que vão pesquisar por ti no LinkedIn.

Esta dica não faz parte dos 6 passos porque é tão básica que dói. Mas dada a quantidade de pessoas que não cumpre, aqui fica: MANTÉM O TEU PERFIL A-C-T-U-A-L-I-Z-A-D-O. Continue reading

Uma verdade dificil de aceitar

Entre trabalho, o Mundial e visitas de amigos e família de Portugal (um acontecimento raro que urge aproveitar), tem-me sobrado pouco ou nenhum tempo para escrever.

Felizmente, as coisas acalmam agora na altura do Ramadão e já tenho alguns textos em draft. O próximo está quase, quase a sair e é sobre um tema no qual tenho vindo a insistir há bastante tempo: a importância do LinkedIn.

Enquanto não sai, gostava de partilhar um artigo que encontrei aqui perdido nuns documentos antigos e que já foi escrito há mais de 6 anos mas cheio de razão numa verdade que ainda hoje nos recusamos a aceitar:

“Great jobs, world class jobs, jobs people kill for… those jobs don’t get filled by people emailing in resumes. Ever.”

Podes ler o artigo completo aqui.

Rute Silva Brito

Margaritas e Vista para o Mar. Vens?

Restaurante_Siesta3

O Licenciado. E Agora já leva 6 meses de existência e num espírito de celebração, quero aproveitar a minha curta viagem a Portugal para conhecer-vos. Venho propor-vos um final de tarde bem passado, com margaritas e vista para o mar no sítio maravilhoso ali na foto.

O objectivo é partilharmos histórias e experiências no mundo do trabalho, falar sobre os desafios que temos pela frente e pensar soluções em conjunto. Não vou conduzir uma reunião nem dar uma palestra. Não há guião nem tópicos específicos na agenda. Será apenas uma conversa informal sobre o que nos apetecer. Continue reading

Como ser bem sucedido a fazer o que gostas

172862.strip

Duvido que alguém tenha paciência para ler isto no dia a seguir à derrota da selecção, mas pronto, the show must go on.

E se vos servir de consolo, ao menos não viram o jogo num “estádio” cheio de alemães.

Nos 6 meses de vida do Licenciado e Agora, o post que atraiu mais leitores para o blog foi o 5 Erros Comuns a Evitar no CV. Eu continuo a achar que é pela foto do bebé (tenho que experimentar com gatinhos), mas a verdade é que tem mais do dobro das views que o segundo post mais lido.

O tema de como elaborar um currículo é incontornável quando se escreve sobre o carreira – todos nós passamos por isso – e ainda mais quando se escreve para pessoas entre os 18 e os 30 anos.

Fico contente que haja interesse nesta área especialmente porque é determinante na procura de emprego. No entanto, o que é ainda mais determinante e me deixaria muito mais feliz, seria ver a minha geração a adoptar uma abordagem completamente diferente ao mundo trabalho em si.

Ver a minha geração despertar para o facto de que a estabilidade como objectivo e métrica de sucesso na carreira é uma ilusão que nos venderam. Continue reading

Quando for grande quero ser como o meu irmão

225987_1039408280198_1009683_n

Esta foto foi tirada há 24 anos atrás. Eu tinha 3 e o meu herói (ao meu lado ali na foto) tinha quase 10.

Hoje, faz 34. Parabéns Ricardo!

Quem conhece o meu irmão vai perceber perfeitamente este texto.

Mesmo quem apenas se cruzou com ele, por breve que tenha sido o instante, sabe que conheceu uma pessoal especial.

Foi ele que me ensinou a jogar à bola. E ping-pong.

Foi ele que me fez crescer a brincar na rua em vez de estar em casa a jogar consola, embora também me desse umas tareias de vez em quando na Family Games.

Foi ele que me comprou os meus primeiros Air Force One (e mais uma data de cenas fixes).

Foi ele que me ensinou a gostar de jogos de estratégia apesar de eu perder vezes sem conta, tirando as vezes em que tinha pena de mim e me deixava ganhar.

Foi ele que me levou e foi buscar a todo o lado quando ainda não tinha carta e queria sair.

Foi por vê-lo em gestão empresarial que escolhi uma carreira em marketing.

Foi ele que, sem saber, me deu ambição e sonhos altos.

Foi pelo exemplo dele que nunca consegui abandonar totalmente a minha fé, apesar de ter tentado bastante.

Tudo o que sou é por causa do meu irmão. E tudo o que quero ser é por causa dele.

Um dia vamos voltar a viver no mesmo país. E havemos de trabalhar juntos.

Os meus filhos hão-de crescer com os primos. Filhos, no plural, porque não consigo conceber a ideia de um filho único.

Fico triste pelos filhos únicos porque não sabem o que é ter um irmão. Mas mesmo que tivessem, não saberiam o que é ter o Ricardo…

Ser irmã da melhor pessoa do mundo é um privilégio só meu.

Rute Silva

Não há desculpas

James Franco Skillshare

Normalmente reservo este tipo de posts para a página de Facebook do Licenciado. E Agora? por serem relevantes apenas para uma pequena parte de quem lê o blog mas decidi abrir uma excepção por vir ao encontro do que tenho vindo a dizer: nenhuma outra geração teve tantas oportunidades à sua disposição como a nossa. 

O Skillshare lançou agora um curso online novo - Introduction to Screenwriting for Short Films - dado, nada mais nada menos que pelo James Franco. São 30 horas de video com uma componente prática, através da qual podes vir a ser escolhido para uma sessão de mentoring com o actor. Mais info no site.

O curso só custa 25 dólares portanto se esta é uma área que te interessa, não tens desculpas.

Rute Silva Brito

   

O Leitor Pergunta #6: Quem és tu para falar?

183359.strip_.print_

Há tempos recebi um comentário extenso que pode ser resumido numa questão perfeita para mais uma rubrica “O Leitor Pergunta”: Quem és tu para falar de áreas que não conheces?

Penso que o “quem sou eu para falar” já foi respondido aqui.

Inaugurei este blog com um post a dizer o porquê de o ter começado mas talvez não tenha expressado claramente qual a missão do Licenciado. E Agora?

Tudo começou quando me mudei para o Dubai e me vi novamente à procura de emprego. Era a quarta vez em apenas 7 anos daquilo que os meus amigos apelidam uma carreira de sucesso. Continue reading

Estás pronto para trabalhar?

192230.strip

Há dias escrevi sobre novas tendências de recrutamento em redes sociais na sequência de um estudo divulgado pela Jobvite.

Achei interessante que no meio das imensas estatísticas focadas em redes sociais, há um número que esconde uma dura realidade:

52% dos recrutadores prefere contratar passive job seekers como forma de competir pelo talento.

Como se já não bastasse ter de competir com milhares de outros desempregados, agora os recrutadores preferem contratar pessoas que nem sequer estão à procura de emprego.

O que é o mesmo que dizer que o rótulo “desempregado” automaticamente diminui o valor-mercado ao tornar os candidatos menos atractivos e diminui-lhes o poder de negociação. Continue reading

Fight the power. And don’t trust the machine.

Dilbert-Org-Chart-600x186

Lembras-te quando há tempos referi aqui que não podemos deixar todos os nossos esforços de procura de emprego nas mãos de ATS’s (Applicant Tracking Systems) que fazem a triagem das candidaturas com base em keywords?

Ontem recebi mais uma prova disso.

Um email de uma empresa em cujo portal de candidatura online me inscrevi há uns tempos. “Temos uma vaga que encaixa no seu perfil: Schedule Planning Controller”.

-.-

Este programa brilhante identificou os meus 7 anos de experiencia em marketing como o perfil ideal para ir planear descolagens e aterragens de aviões. Ou whatever que é suposto fazer-se.

MEDO. Continue reading