Procurar emprego no Dubai – Parte 1

dubai_660

Desde que vivo nos Emirados Árabes Unidos que uma das perguntas que me fazem mais vezes é como procurar emprego Dubai, como fazer um CV para este mercado ou uma outra variação destas duas questões.

Não tinha noção da quantidade de portugueses que querem trabalhar no Dubai, são mesmo muitos. Por isso aqui fica o meu contributo, uma espécie de guia cimentado na minha própria experiência, bem como de amigos que aqui vivem.

Nesta primeira parte vou focar-me em 3 questões que penso toda a gente deveria ponderar antes contemplar a mudança. Continue reading

Como ser um bom Networker – Parte 1

179126-strip

Há tanto para explorar dentro do tema networking que optei por dividir esta série em várias partes. Assim temos posts mais curtos porque, sejamos honestos, é Verão e ninguém tem pachorra durante as férias.

Aposto que quando pensas em networking, a imagem que te vem à cabeça é um evento onde é suposto teres um bolso cheio de cartões e iniciares conversas de circunstância com desconhecidos, tudo para no final pedires qualquer coisa.

Mas a verdade é que hoje em dia, é mais provável que os esforços de networking passem sobretudo pelo mundo virtual. E não, não me refiro a adicionar contactos no LinkedIn em massa – por favor nunca faças isso.

Diz não a tudo o que for massificado. 

Não é assim que se usa o LinkedIn. Emails indiscriminados são SPAM. E há que saber respeitar o espaço das pessoas.

Networking consiste em cultivar relações numa perspectiva de longo prazo e não é preciso dizer que o tratamento impessoal e indiscriminado não cultiva relação absolutamente nenhuma. Demonstra interesse genuíno pela outra pessoa e pensa mais no que podes fazer pelo outro do que o outro pode fazer por ti. Continue reading

Como Optimizar o Perfil de LinkedIn em 5 Passos

165853.strip.zoom

Hoje faz um ano que cheguei ao Dubai, fruto de uma oportunidade de trabalho que surgiu via LinkedIn. Depois de meses a chatear-vos para lhe darem a devida importância, hoje é o dia que publico o post que tenho vindo a prometer.

Há muito a explorar nesta rede social profissional mas, para já, vou escrever uma espécie de guia para quem vai criar um perfil de raiz e para quem tem um perfil incompleto ou sub-aproveitado (e com isto acabo de englobar provavelmente 80% da população).

Pior do que não estar no LinkedIn, é ter um perfil incompleto. Mais vale ninguém te encontrar online do que encontrar e ficar com má impressão. Especialmente se estás activamente à procura de emprego porque hoje em dia se o teu CV estiver a ser considerado, podes crer que vão pesquisar por ti no LinkedIn.

Esta dica não faz parte dos 6 passos porque é tão básica que dói. Mas dada a quantidade de pessoas que não cumpre, aqui fica: MANTÉM O TEU PERFIL A-C-T-U-A-L-I-Z-A-D-O. Continue reading

Margaritas e Vista para o Mar. Vens?

Restaurante_Siesta3

O Licenciado. E Agora já leva 6 meses de existência e num espírito de celebração, quero aproveitar a minha curta viagem a Portugal para conhecer-vos. Venho propor-vos um final de tarde bem passado, com margaritas e vista para o mar no sítio maravilhoso ali na foto.

O objectivo é partilharmos histórias e experiências no mundo do trabalho, falar sobre os desafios que temos pela frente e pensar soluções em conjunto. Não vou conduzir uma reunião nem dar uma palestra. Não há guião nem tópicos específicos na agenda. Será apenas uma conversa informal sobre o que nos apetecer. Continue reading

Como ser bem sucedido a fazer o que gostas

172862.strip

Duvido que alguém tenha paciência para ler isto no dia a seguir à derrota da selecção, mas pronto, the show must go on.

E se vos servir de consolo, ao menos não viram o jogo num “estádio” cheio de alemães.

Nos 6 meses de vida do Licenciado e Agora, o post que atraiu mais leitores para o blog foi o 5 Erros Comuns a Evitar no CV. Eu continuo a achar que é pela foto do bebé (tenho que experimentar com gatinhos), mas a verdade é que tem mais do dobro das views que o segundo post mais lido.

O tema de como elaborar um currículo é incontornável quando se escreve sobre o carreira – todos nós passamos por isso – e ainda mais quando se escreve para pessoas entre os 18 e os 30 anos.

Fico contente que haja interesse nesta área especialmente porque é determinante na procura de emprego. No entanto, o que é ainda mais determinante e me deixaria muito mais feliz, seria ver a minha geração a adoptar uma abordagem completamente diferente ao mundo trabalho em si.

Ver a minha geração despertar para o facto de que a estabilidade como objectivo e métrica de sucesso na carreira é uma ilusão que nos venderam. Continue reading

Estás pronto para trabalhar?

192230.strip

Há dias escrevi sobre novas tendências de recrutamento em redes sociais na sequência de um estudo divulgado pela Jobvite.

Achei interessante que no meio das imensas estatísticas focadas em redes sociais, há um número que esconde uma dura realidade:

52% dos recrutadores prefere contratar passive job seekers como forma de competir pelo talento.

Como se já não bastasse ter de competir com milhares de outros desempregados, agora os recrutadores preferem contratar pessoas que nem sequer estão à procura de emprego.

O que é o mesmo que dizer que o rótulo “desempregado” automaticamente diminui o valor-mercado ao tornar os candidatos menos atractivos e diminui-lhes o poder de negociação. Continue reading

Trabalhar em Modo Walking Dead

the walking dead working dead at office

É fácil irmos trabalhar. Chegarmos a horas, irmos a reuniões e cumprimos as tarefas que nos dão. Mas não basta aparecer.

O “aparecer para trabalhar” não só prejudica a nossa performance como é algo que nos corrói lentamente Walking Dead-style: até atingirmos o modo zombie.

Em Portugal, a crise enviou centenas de milhares para o desemprego e ao mesmo tempo deixou milhões com salários reduzidos e cargas de trabalho muitas vezes desumanas.

Isto explica em parte porque mais de 60% pense frequentemente em despedir-se. Continue reading

Redes Sociais e Emprego: Para além do LinkedIn

instagram

Hoje em dia já ninguém duvida do alcance das Redes Sociais e há por aí bastantes artigos sobre o cuidado que devemos ter com a nossa pegada digital que nos poderá prejudicar a nível profissional.

Não deixes de ser quem és, mas ter em atenção as definições de privacidade é o mínimo.

Espanta-me que com todo este awareness, a maioria da população jovem conviva com a tecnologia há anos mas não tenha ainda começado a utilizar o potencial das redes sociais a seu favor na procura de emprego.

Muitos ainda não estão sequer no LinkedIn e dos que estão, uma boa parte tem um perfil sub-aproveitado. Continue reading

Marketing Pessoal: a criar emprego desde 1997

fotografia (1)

Quando o conceito de personal branding foi introduzido por Tom Peters no final dos anos 90, ter uma marca pessoal era algo reservado a executivos de topo que queriam maximizar o seu retorno financeiro ao longo da carreira.

Hoje, este conceito tem quase 20 anos e tornou-se absolutamente necessário para para qualquer profissional, mas são poucos os que páram para repensar a sua carreira em termos de marketing pessoal.

“Victorious warriors win first and then go to war, while defeated warriors go to war first and then seek to win.” - Sun Tzu

Se estamos à procura de emprego é a primeira coisa que devemos fazer pois vai influenciar tudo. Desde a nossa estratégia de job hunting ao nosso discurso em entrevista, passando pela elaboração do CV. Tudo passa a estar coerente com o nosso posicionamento.

Quando comecei este blog, dois dos primeiros posts que escrevi foram precisamente sobre a importância do marketing pessoal e o processo que me levou à criação da minha marca, tema a que dediquei um capítulo inteiro do meu livro “Licenciado. E Agora?”.

Expliquei o “porquê” quando realcei a necessidade de nos diferenciarmos no mercado de trabalho, e o o “como” quando referi o processo. Mas apercebo-me agora que nunca expliquei o “para quê.”

Felizmente, esta semana tenho a história perfeita para ilustrar o “para quê” pois acabei de assinar um contrato de trabalho para os próximos três meses.

“Então esta história do marketing pessoal é para conseguir um emprego?” – Perguntam-me vocês. Continue reading

O Leitor Pergunta #5: Fazes cartas de apresentação?

Como alguns de vocês sabem, tenho ajudado algumas pessoas a refazer o CV.

O processo é simples: (1) analiso o CV actual e identifico pontos de melhoria (2) envio um questionário com perguntas de diagnóstico para perceber qual o objectivo e obter mais informação (3) refaço o CV com a informação que tenho.

A terceira parte é a mais complexa, é como montar um puzzle. Da informação toda que solicito apenas coloco efectivamente 1/5 no CV mas no fundo uso-a toda. É importante para perceber quais são as mais valias do cliente, como traçar o seu perfil, o que pode ser optimizado tendo em conta o objectivo…

Num mundo ideal, cada um faria este processo para si mesmo porque ninguém nos conhece melhor que nós próprios, mas a verdade é que por norma as pessoas não têm a experiência e o distanciamento necessário para o fazer. É aqui que entra o meu papel, visto que tenho já um olho treinado para a coisa (e jeito para montar puzzles!): 80% do trabalho é colocar as questões certas. E tudo é feito em conjunto com o cliente, sem modelos pré-formatados nem fórmulas “one-fits-all”.

Muitos me têm perguntado: Podes-me escrever também uma carta de apresentação? Continue reading