Faças o que fizeres, lê isto.

Visto que nos próximos tempos planeio escrever mais sobre empreendedorismo do que procura de emprego e carreira no sentido mais tradicional, deixo aqui uma lista de óptimos livros que considero de leitura obrigatória na área de gestão de carreira. Podem clickar nas imagens para aceder à respectiva página da amazon UK ou procurar na vossa Fnac local pela versão em portuguesa.

Sem nenhuma ordem especial, aqui ficam.Business-Model-You-CoverBusiness Model You por Tim Clark

Este livro utiliza o Business Model Canvas (usado por empreendedores para definirem o modelo de negócio das suas empresas) e aplica a mesma lógica à carreira individual. Está cheio de exemplos práticos de profissionais das mais variadas áreas que utilizaram este método, o que te ajuda bastante a colocares o teu percurso em perspectiva, analisares os teus pontos fortes e perceberes como te deves posicionar no mercado. Começas a olhar para ti não só como uma marca mas como uma empresa de uma pessoa, que deve operar com um modelo de negócio definido.

Acho que é particularmente útil em processos de transição ou quando te sentes estagnado e precisas de perceber como evoluir, dar o passo seguinte, ou reinventar-te. Está cheio de exercícios que podes fazer e que te ajudam neste processo de auto-descoberta.

“Dream jobs are more often created than found, so they’re rarely attainable through conventional searches. Creating one requires strong self-knowledge” - in Business Model You Continue reading

Screw it. Just do it.

entrepreneurship

Até aqui tenho escrito sobretudo sobre como conseguir emprego ou gestão de carreira e sinto que está na hora de mudar o focus para uma forma de carreira cada vez mais importante: criar o teu próprio emprego.

Este é o primeiro texto de uma série de reflexões sobre freelancing e empreendedorismo.

Já alguma vez pensaste “tudo o que fiz, tudo o que passei até aqui trouxe-me a este momento”?

Hoje, estou nesse momento. Continue reading

Procurar Emprego no Dubai – Parte 2

Burj-Al-Arab-City-571x322Nesta segunda parte vais encontrar conselhos e links úteis para procurar emprego, incluindo aquelas coisas que nunca te dizem e que certamente não verás em sites “oficiais”.

Convém reforçar que este post, assim como todo o blog no geral, é mais virado para o mercado empresarial e não para profissões técnicas ou altamente especializadas…

Job Hunting no Dubai pode ser um processo longo e bastante frustrante.

Não é de todo incomum que mesmo estando cá se demore mais de 6 meses a encontrar trabalho. O recrutamento é muito lento, especialmente se for para recrutar alguém do exterior. E mesmo depois de selecionado o candidato, há imensas burocracias por cumprir antes de teres um visto de trabalho no passaporte.

Quanto mais consciente estiveres das especificidades deste mercado, maiores são as tuas hipóteses de sucesso e não desanimas tão facilmente quando parece que nada acontece.

Aqui ficam os passos que considero essenciais. Continue reading

Procurar emprego no Dubai – Parte 1

dubai_660

Desde que vivo nos Emirados Árabes Unidos que uma das perguntas que me fazem mais vezes é como procurar emprego Dubai, como fazer um CV para este mercado ou uma outra variação destas duas questões.

Não tinha noção da quantidade de portugueses que querem trabalhar no Dubai, são mesmo muitos. Por isso aqui fica o meu contributo, uma espécie de guia cimentado na minha própria experiência, bem como de amigos que aqui vivem.

Nesta primeira parte vou focar-me em 3 questões que penso toda a gente deveria ponderar antes contemplar a mudança. Continue reading

Como ser um bom Networker – Parte 1

179126-strip

Há tanto para explorar dentro do tema networking que optei por dividir esta série em várias partes. Assim temos posts mais curtos porque, sejamos honestos, é Verão e ninguém tem pachorra durante as férias.

Aposto que quando pensas em networking, a imagem que te vem à cabeça é um evento onde é suposto teres um bolso cheio de cartões e iniciares conversas de circunstância com desconhecidos, tudo para no final pedires qualquer coisa.

Mas a verdade é que hoje em dia, é mais provável que os esforços de networking passem sobretudo pelo mundo virtual. E não, não me refiro a adicionar contactos no LinkedIn em massa – por favor nunca faças isso.

Diz não a tudo o que for massificado. 

Não é assim que se usa o LinkedIn. Emails indiscriminados são SPAM. E há que saber respeitar o espaço das pessoas.

Networking consiste em cultivar relações numa perspectiva de longo prazo e não é preciso dizer que o tratamento impessoal e indiscriminado não cultiva relação absolutamente nenhuma. Demonstra interesse genuíno pela outra pessoa e pensa mais no que podes fazer pelo outro do que o outro pode fazer por ti. Continue reading

Como Optimizar o Perfil de LinkedIn em 5 Passos

165853.strip.zoom

Hoje faz um ano que cheguei ao Dubai, fruto de uma oportunidade de trabalho que surgiu via LinkedIn. Depois de meses a chatear-vos para lhe darem a devida importância, hoje é o dia que publico o post que tenho vindo a prometer.

Há muito a explorar nesta rede social profissional mas, para já, vou escrever uma espécie de guia para quem vai criar um perfil de raiz e para quem tem um perfil incompleto ou sub-aproveitado (e com isto acabo de englobar provavelmente 80% da população).

Pior do que não estar no LinkedIn, é ter um perfil incompleto. Mais vale ninguém te encontrar online do que encontrar e ficar com má impressão. Especialmente se estás activamente à procura de emprego porque hoje em dia se o teu CV estiver a ser considerado, podes crer que vão pesquisar por ti no LinkedIn.

Esta dica não faz parte dos 6 passos porque é tão básica que dói. Mas dada a quantidade de pessoas que não cumpre, aqui fica: MANTÉM O TEU PERFIL A-C-T-U-A-L-I-Z-A-D-O. Continue reading

Margaritas e Vista para o Mar. Vens?

Restaurante_Siesta3

O Licenciado. E Agora já leva 6 meses de existência e num espírito de celebração, quero aproveitar a minha curta viagem a Portugal para conhecer-vos. Venho propor-vos um final de tarde bem passado, com margaritas e vista para o mar no sítio maravilhoso ali na foto.

O objectivo é partilharmos histórias e experiências no mundo do trabalho, falar sobre os desafios que temos pela frente e pensar soluções em conjunto. Não vou conduzir uma reunião nem dar uma palestra. Não há guião nem tópicos específicos na agenda. Será apenas uma conversa informal sobre o que nos apetecer. Continue reading

Como ser bem sucedido a fazer o que gostas

172862.strip

Duvido que alguém tenha paciência para ler isto no dia a seguir à derrota da selecção, mas pronto, the show must go on.

E se vos servir de consolo, ao menos não viram o jogo num “estádio” cheio de alemães.

Nos 6 meses de vida do Licenciado e Agora, o post que atraiu mais leitores para o blog foi o 5 Erros Comuns a Evitar no CV. Eu continuo a achar que é pela foto do bebé (tenho que experimentar com gatinhos), mas a verdade é que tem mais do dobro das views que o segundo post mais lido.

O tema de como elaborar um currículo é incontornável quando se escreve sobre o carreira – todos nós passamos por isso – e ainda mais quando se escreve para pessoas entre os 18 e os 30 anos.

Fico contente que haja interesse nesta área especialmente porque é determinante na procura de emprego. No entanto, o que é ainda mais determinante e me deixaria muito mais feliz, seria ver a minha geração a adoptar uma abordagem completamente diferente ao mundo trabalho em si.

Ver a minha geração despertar para o facto de que a estabilidade como objectivo e métrica de sucesso na carreira é uma ilusão que nos venderam. Continue reading

Estás pronto para trabalhar?

192230.strip

Há dias escrevi sobre novas tendências de recrutamento em redes sociais na sequência de um estudo divulgado pela Jobvite.

Achei interessante que no meio das imensas estatísticas focadas em redes sociais, há um número que esconde uma dura realidade:

52% dos recrutadores prefere contratar passive job seekers como forma de competir pelo talento.

Como se já não bastasse ter de competir com milhares de outros desempregados, agora os recrutadores preferem contratar pessoas que nem sequer estão à procura de emprego.

O que é o mesmo que dizer que o rótulo “desempregado” automaticamente diminui o valor-mercado ao tornar os candidatos menos atractivos e diminui-lhes o poder de negociação. Continue reading