Taking Risks and Dancing with Fear

dt130528

Conventional wisdom tells us that decision making should be based on rational thinking, but we’re also advised to listen to our gut feeling.

While I’ve always had good instincts and my gut has yet to disappoint me, there’s another kind of not-so-rational feeling that is much harder to keep in check. I’ve noticed that people sometimes justify fear-based decisions with excuses like “I just wasn’t feeling it” or “my gut is telling me not to do this”

Your gut is a good instinct and you should trust it. But fear is an entirely different beast. The ability to tell those two apart is critical, and it is something that I’ve been trying to master over the years.

All sorts of fears keep people back. Fear of public speaking, fear of failing, fear of not being good enough, of being laughed at, of being disappointed or embarrassed, just to name a few.

Great business leaders like Sheryl Sandberg or Ed Catmull have publicly admitted to sometimes feeling like a fraud, which proves that even the most confident and successful people have their own insecurities. To say we fear nothing is to lie to ourselves and, worse, to rob us of a great opportunity.

Some people talk about overcoming our fears, implying the ultimate goal is to avoid being afraid. That is the worst thing we can do: avoiding fear means we are getting comfortable… Read more

Advertisements
Taking Risks and Dancing with Fear

Carreira: Perseguir o sonho ou viver na realidade?

dt131012

Este tópico está na minha pipeline há quase um ano. Por algum motivo, sempre que começo a escrever este artigo, acabo por começar um novo sobre outro tema qualquer. Acho que o que me faz adiar a escrita deste artigo é o peso da responsabilidade. Todos temos sonhos por alcançar e cada pessoa tem o seu próprio percurso. Nem todos enfrentamos os mesmos obstáculos e há quem tenha mais vantagens simplesmente pelo meio onde nasceu.

Sem desvalorizar a experiência pessoal de ninguém, finalmente vou assumir uma posição.

Decidir entre fazer aquilo que gostamos ou algo que dê dinheiro é um dilema que quase todos os jovens encontram – geralmente quando saímos da faculdade e damos de caras com um mercado de trabalho saturado.

Entre aqueles que conseguem emprego, a maioria dos jovens acaba conformada num trabalho que não detesta mas que também não gosta particularmente.

Isto ou porque não sabem o que gostariam realmente de fazer e deixam-se estar confortáveis, ou porque acham que é impossível fazer o que realmente gostavam.

Será mesmo? Continue reading “Carreira: Perseguir o sonho ou viver na realidade?”

Carreira: Perseguir o sonho ou viver na realidade?

Faças o que fizeres, lê isto.

Visto que nos próximos tempos planeio escrever mais sobre empreendedorismo do que procura de emprego e carreira no sentido mais tradicional, deixo aqui uma lista de óptimos livros que considero de leitura obrigatória na área de gestão de carreira. Podem clickar nas imagens para aceder à respectiva página da amazon UK ou procurar na vossa Fnac local pela versão em português.

Sem nenhuma ordem especial, aqui ficam.Business-Model-You-CoverBusiness Model You por Tim Clark

Este livro utiliza o Business Model Canvas (usado por empreendedores para definirem o modelo de negócio das suas empresas) e aplica a mesma lógica à carreira individual. Está cheio de exemplos práticos de profissionais das mais variadas áreas que utilizaram este método, o que te ajuda bastante a colocares o teu percurso em perspectiva, analisares os teus pontos fortes e perceberes como te deves posicionar no mercado. Começas a olhar para ti não só como uma marca mas como uma empresa de uma pessoa, que deve operar com um modelo de negócio definido.

Acho que é particularmente útil em processos de transição ou quando te sentes estagnado e precisas de perceber como evoluir, dar o passo seguinte, ou reinventar-te. Está cheio de exercícios que podes fazer e que te ajudam neste processo de auto-descoberta.

“Dream jobs are more often created than found, so they’re rarely attainable through conventional searches. Creating one requires strong self-knowledge” – in Business Model You Continue reading “Faças o que fizeres, lê isto.”

Faças o que fizeres, lê isto.

A carreira do século XXI

follow the rules

Escolher uma carreira costumava ser fácil.

Se quisesses ser jornalista, licenciavas-te em jornalismo, fazias um estágio num órgão de comunicação social para ter acesso à carteira e ias trabalhar para um jornal. Para seres mecânico, tiravas um curso profissional e ias para uma oficina ser aprendiz.

Etc.

Tudo começava na escolha do curso universitário (ou outro tipo de formação) e o caminho estava mais ou menos delineado.

Hoje, não há trabalhos para a vida, não há emprego seguro (se é que alguma vez houve), nem carreiras de indústria. Os cursos tradicionalmente mais procurados não têm empregabilidade e o mercado não consegue absorver os licenciados todos.

O resultado? Continue reading “A carreira do século XXI”

A carreira do século XXI

Uma verdade dificil de aceitar

Entre trabalho, o Mundial e visitas de amigos e família de Portugal (um acontecimento raro que urge aproveitar), tem-me sobrado pouco ou nenhum tempo para escrever.

Felizmente, as coisas acalmam agora na altura do Ramadão e já tenho alguns textos em draft. O próximo está quase, quase a sair e é sobre um tema no qual tenho vindo a insistir há bastante tempo: a importância do LinkedIn.

Enquanto não sai, gostava de partilhar um artigo que encontrei aqui perdido nuns documentos antigos e que já foi escrito há mais de 6 anos mas cheio de razão numa verdade que ainda hoje nos recusamos a aceitar:

“Great jobs, world class jobs, jobs people kill for… those jobs don’t get filled by people emailing in resumes. Ever.”

Podes ler o artigo completo aqui.

Rute Silva Brito
Uma verdade dificil de aceitar

“What’s your Job?”

Not your job title, but your job. What do you do when you’re doing your work? What’s difficult and important about what you do, what change do you make, what do you do that’s hard to live without and worth paying for?

“I change the people who stop at my desk, from visitors to guests.”

“I give my boss confidence.”

“I close sales.”

If your only job is “showing up,” time to raise the stakes.

By Seth Godin (fonte) Continue reading ““What’s your Job?””

“What’s your Job?”